Comerciantes são favoráveis à nova lei antifumo na RMVale

RMVale, 14 de Junho de 2014 às 18h07.

Moisés Rosa

 

Depois da lei estadual, agora vem a lei federal de combate ao fumo, mas os frequentadores de bares, restaurantes e casas noturnas na RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba) já estão acostumados a ter que sair para fumar. 

Com a nova regra, fica proibido o uso de cigarro, cigarrilha, charuto, cachimbo e outros produtos do gênero em locais de uso coletivo -público ou privado. Estão vetados inclusive os narguilés. A legislação, sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT), passa a vigorar em dezembro deste ano.

Segundo o presidente do Sinhores (Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares) de São José dos Campos e região, Antonio Ferreira Junior, a nova lei não vai prejudicar os comerciantes.

"Já temos a nossa lei estadual que restringe o fumo nos bares, restaurantes e casas noturnas. No começo da lei em São Paulo os proprietários se sentiram prejudicados e sentiram queda no movimento", comenta Junior.

O presidente do sindicato ainda ressalta que não concorda com a punição dos proprietários pela lei antifumo. "Quem fuma é que deve ser responsabilizado", afirma.

Com a nova regra, fica proibido o uso de cigarro, cigarrilha, charuto, cachimbo e outros produtos do gênero em locais de uso coletivo -público ou privado. Estão vetados inclusive os narguilés.

Geraldo Souza, gerente do Bar do Xuxu, no Jardim Alvorada, região oeste de São José dos Campos, aprova a nova lei. "Acho uma lei muito positiva, que vai contribuir principalmente com a saúde das pessoas", diz.

Outro proprietário favorável é Ricardo Sampaio, do Funil Bar, na região central de São José. Sampaio afirma que a lei é positiva, mas que poderia ser diferenciada nos estabelecimentos. "Daria para ter bares para fumantes e outros para quem não fuma. Isso ajudaria e muito na opção dos clientes", destaca Sampaio.

Segundo a pneumologista Elisa Cardoso, o cigarro é um das principais causas de morte no mundo. "É a droga mais usada, no país, seguido do álcool, principalmente em países de baixo e média renda. O cigarro contém inúmeras substâncias tóxicas, entre elas a nicotina, que provoca vício. Quanto maior o tempo de uso, mais doenças o fumante pode adquirir, tanto no fumante ativo quanto no passivo", afirma Elisa.

A especialista ressalta que o tratamento também deve ser acompanhado por psicológos. "O tratamento deve ser acompanhado por equipe multidisciplinar, com médicos, psicólogos, enfermeiros, entre outros. Como a nicotina causa dependência, muitas terapias são voltados para a reposição nicotínica e entre eles estão os adesivos, gomas de mascar e até mesmo alguns sprays nasais", diz a especialista.

Malefícios 
O cigarro contém mais de duas mil toxinas que são relacionadas ao consumo da nicotina. Em entrevista ao Meon, o cardiologista José Roberto Tavares explica os males que o cigarro acarreta, especialmente os problemas cardiovasculares.

Quais são os principais malefícios do cigarro? 
O fumo é o que mais influencia nas causas de infarto. O cigarro está ligado aos males do coração, de doenças cardiovasculares (hipertensão, infarto), além de alguns tipos de câncer -bexiga e laringe-. Já as mulheres que tomam pílulas anticoncepcional pode ocasionar coágulos no pulmão e cérebro.  

Quanto tempo leva para desintoxicar o pulmão depois de anos fumando? 
Quem fuma um maço de cigarro por dia só vai conseguir desintoxicar após dez anos de tratamento. As pessoas que apresentam condições de obesidade, diabetes, também corre o risco de ter derrames, já que não possuem uma alimentação balanceada e nutritiva.

Como identificar e tratar os fumantes? 
É possível realizar alguns exames para identificar. Os mais comuns são os exames para medir os níveis de nicotina por meio de exames de sangue, além dos exames de tórax, no pulmão e com tomografia. Antes de tratar, é preciso que o fumante tenha consciência e entenda que sem ajuda vai ser difícil conseguir parar de fumar, pois o organismo cria dependência do uso da nicotina.

Há alguns tratamentos iniciais, como o uso de chicletes e pastilhas que possuem baixa nicotina, associado com medicamentos para combater a dependência.

 

Fonte: Portal Meon (http://www.meon.com.br/noticias/regiao/comerciantes-sao-favoraveis-a-nova-lei-antifumo-na-rmvale)

  • SINHORES EM PAUTA

    Para assistir aos programas exibidos pelo SINHORES EM PAUTA clique aqui
  • LINKS ÚTEIS

    Confira aqui a lista de sites que são referência para o segmento de hotéis, restaurantes, bares e similares.
  • NEWSLETTER

    Assine a newsletter do SINHORES receba em seu e-mail todas novidades